League of Legends: Riot censura história de K’Sante em alguns países

Por causa dessas diferenças, as narrativas não são desenvolvidas da mesma forma para todos os territórios. League of Legends não escapa da regra. A vítima de censura e alteração da história foi K´Sante, o mais novo campeão do MOBA da Riot Games.
League of Legends: Riot censura história de K'Sante em alguns países

O primeiro campeão homossexual de League of Legends não é homossexual em todos os lugares

K´Sante é o primeiro campeão de League of Legends apresentado como homossexual. Ele se relacionava amorosamente com um outro homem antes de chegar a Summorner´s Rift.

De acordo com sua descrição:

“K’Sante é um caçador e um grande guardião de seu povo, que luta usando armas forjadas de um predador que caçou tempos atrás. Um defensor dos oásis de Nazumah, localizado dentre os desertos de Shurima, K’Sante usa tanto de táticas defensivas como ofensivas para salvar seus aliados, e rapidamente eliminar qualquer ameaça.”

Vale lembrar que sua skin especial foi projetada por Lil Nas X, rapper estadunidense que é um ícone da luta queer na indústria musical mundial.
Jeremy Lee, CEO de League of Legends e mais conhecido pelo seu nickname Riot Brightmoon, disse em entrevista para a Sky News, que quer que todos os jogadores encontrem um campeão com o qual possam se relacionar. A desenvolvedora tem intenção de que o game seja aceito por todos os tipos de pessoas. Entretanto, em países que criminalizam relacionamentos entre indivíduos do mesmo gênero, a Riot não menciona que K´Sante é gay, e ele e seu amante são apenas parceiros de lutas.
Hanna Woo, RP Global de League of Legends, elaborou explicações para justificar a decisão da Riot. Ela disse que, embora o jogo sofra alterações para permanecer publicado em todos os países do mundo onde já está disponível e se adapte à legislação local, o videogame é um fenômeno global.”Nudanças têm sido feitas, mas a identidade dos personagens está lá para você ver”, disse ela.
A justificativa, no entanto, não convenceu os jogadores. Muitos membros da comunidade criticaram a decisão da empresa de permancer com um League of Legends alterado para conquistar espaço e retorno financeiro em mais lugares. Segundo eles, a Riot prefere se conformar com legislações homofóbicas do que perder uma parcela de seus jogadores.

Alternativas encontradas pelos jogadores desses países para ter acesso às informações completas dos personagens

Um dos países onde a história de K´Sante foi censurada foi a Rússia. Sabemos que lá, as leis são bastante discriminatórias em relação a pessoas LGBTQIAP+. Apesar das redes sociais predominantes no país serem próprias do território, os usuários também fazem uso do Reddit ou Twitter, podendo ter acesso a assuntos que acontecem em outros lugares.  Desse modo, muitos jogadores puderam ter contato com a história verdadeira de K´Sante, ainda que a Rússia tenha leis contra a chamada “propaganda homossexual”.

Na China, também não levou muito tempo para a comunidade de League of Legends descobrir a história de Diana e Leona, mesmo com a censura imposta pelo governo.

League of Legends: Riot censura história de K'Sante em alguns países

No ano passado, a Riot Games oficializou as personagens Leona e Diana com um casal lésbico. Em seu site oficial, desenvolvedora publicou um conto sobre as duas. Escrito por Dana Luery Shaw, a curta história pode ser lida no site de League of Legends.

O relacionamento entre as personagens já era cogitado há bastante tempo pelos fãs do jogo.

 

Compartilhe

Leticia

Leticia

Sou escritora, jornalista e completamente apaixonada por tudo que envolve cultura pop. Instagram e twitter: @leticiahofke

Veja também