CBLOL

CBLOL: alguns casos controversos que aconteceram no campeonato

O CBLOL já acontece há bastante tempo e ao longo dos anos, muitas coisas aconteceram e, claro, não podiam faltar polêmicas. Veja algumas abaixo:

Treta no eSports: confira algumas polêmicas de pro players (parte 2)

No primeiro split do CBLOL de 2016, Mylon foi punido com multa e suspensão da competição por ter feito um gesto obsceno para a câmera.

Na época, a Riot emitiu um comunicado em que afirma que durante a transmissão do CBLoL, é comum ir ao ar uma câmera que mostra a sala de espera dos jogadores. Existem televisores nessa sala para que os jogadores e comissões técnicas possam ver as partidas, portanto eles sabem quando estão sendo mostrados ao vivo. “Em um desses momentos, o jogador Matheus “Mylon” Borges intencionalmente fez um gesto ofensivo para que fosse visto na transmissão. Apesar de apenas o braço do jogador ter aparecido na cena, os oficiais da Temporada 2016 foram prontamente até ele, que reconheceu ter feito o gesto”, informou a empresa.

Em sua defesa, o jogador afirmou que estava em um momento de descontração com os amigos. No Twitter, ele falou que não achou a punição justa: o gesto rendeu uma multa de R$ 2 mil reais e duas semanas de suspensão.

paiN deixando brTT de lado?

CBLOL: alguns casos controversos que aconteceram no campeonato

Em 2016, o técnico Gabriel “MiT” Souza colocou brTT no banco de reservas da paiN Gaming e o substituiu por Rodrigo “Tay” Panisa. BrTT permaneceu na reserva pelo restante do ano. Isso, juntamente com vários vídeos que indicavam que o pro player não estava feliz, fez com que os fãs acusassem a paiN de deixar brTT de lado, pedindo para que ele fosse colocado na line-up principalmente.

Em entrevistas, brTT afirmou que estava passando por problemas pessoas e por isso, não teve um bom desempenho em Summoner´s Rift. Por causa disso, MiT o tirou da posição de titular.

Porém, em novembro, a paiN anunciou a saída do jogador, que foi para a RED Canids.

Comportamento tóxico

Foto: Riot Games/Reprodução - League of Legends

Em 2017, Rafael “Rakin” Knittel estava fazendo live jogando e acabou por se irritar com o caçador do time adversário. Ao vivo, ele reclamou sobre o jogador, que era Gabriel “tockers” Claumann. Rakin, então, pediu desculpas, mas tockers ficou irritado e publicou um tweet em que disse “aiai :)”.

Em resposta, um fã o criticou pelo comportamento tóxico e tockers o chamou de “verme nojento”, alegando que havia ficado quieto durante toda a partida. O usuário seguiu na discussão, afirmando que se arrependia de ter torcido pelo jogador quando ele representou o Brasil em torneios internacionais. Claramente irritado, tockers disse que não ligava para o torcedor nem para o Brasil.

O pro player foi muito criticado. Muitos fãs disseram que ele não os valorizada e que precisava prestar atenção em seu modo de agir em redes sociais.

Rakin veio a público se pronunciar. Disse que não queria levar a briga de dentro para fora do jogo e até mesmo defendeu tockers.

Gif queimando dinheiro

Foto: Twitter/Mais Esports/Reprodução - League of Legends

Durante 2º split do CBLoL 2020, após a derrota do Flamengo para a PRG, Jed Kaplan, CEO da Simplicity, postou um tweet em que escreveu “Sem comentários” e postou um Gif de um personagem queimando dinheiro, como se investimento da equipe estivesse sendo feito à toa.

Depois da repercussão, Kaplan pediu desculpas pelo ocorrido.

Polêmicas de Pro Players

Frequentemente, saem notícias aqui no Clube do Videogame de atletas dos esports que estão se envolvendo em polêmicas, seja por causa de racismo, machismo, homofobia ou toxicidade. Separamos uma lista para que você relembre algumas polêmicas de pro players, como o caso de Anderson “4Lan”, ex-jogador profissional de League of Legends e streamer, acusado de importunação sexual. Para ver, basta clicar aqui.

 

Compartilhe

Letícia Höfke

Letícia Höfke

Sou jornalista, escritora e completamente apaixonada por tudo que envolve o universo geek. Twitter e Instagram: @leticiahofke

Veja também