As transações mais caras da história dos games (parte 2)

Não é segredo que a indústria dos videogames movimenta bilhões de dólares todos os dias, principalmente com a compra de empresas umas pelas outras que, muitas vezes, chegam a preço inimagináveis para nós, meros mortais. Abaixo, você pode conferir a parte 2 da lista com as transações mais caras da história dos games.

Para ver a parte 1, basta clicar aqui.

6 – Compra da Moonton pela ByteDance, dona do TikTok (US$ 4 bilhões)

As transações mais caras da história dos games (parte 2)

A ByteDance, dona do TikTok, mostrou-se bem atenta ao segmento de jogos eletrônicos e, em 2021, comprou a Moonton Technology por US$ 4 bilhões (aproximadamente R$ 21 bilhões na cotação atual). “Por meio da colaboração entre equipes e aproveitando as lições e percepções de seu rápido crescimento, o Moonton fornece o suporte estratégico necessário para acelerar as ofertas globais de jogos da Nuverse”, afirmou a ByteDance em comunicado.

A Moonton Technology conquistou seu espaço no setor de videogames quando lançou o Mobile Legends, jogo MOBA que ficou bastante famoso no sudeste da Ásia.

Logo após a compra, Yuan Jing, CEO da Moonton, afirmou que, mesmo que o estúdio seja agora ByteDance, ele operaria de forma independente em relação a sua nova controladora.

7 – Microsoft compra Mojang (US$ 2,5 bilhões)

As transações mais caras da história dos games (parte 2)

Em 2014, a Microsoft comprou a Mojang, empresa criadora do game “Minecraft, por US$ 2,5 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões na cotação atual). A equipe da Mojang foi realocada para a Microsoft Studios, mas Markus “Notch” Persson acabou deixando sua própria empresa por “não aguentar a pressão” de ter um jogo grande como Minecraft. Segundo comunicado divulgado pelo estúdio, Notch decidiu que não queria a responsabilidade de ter uma companhia de tamanha significância global. “Ao longo dos anos, ele tentou trabalhar em projetos menores, mas a pressão de possuir o Minecraft se tornou demais para ele lidar. A única opção seria vender a Mojang”.

A Mojang prometeu também que continuaria o desenvolvimento dos jogos para outras plataformas que não pertencem à Microsoft

8 – Glu Mobile comprada pela Electronic Arts (US$ 2,4 bilhões)

As transações mais caras da história dos games (parte 2)

Em oitavo lugar na lista de transações mais caras da história dos games, temos a aquisição da Glu Mobile pela Electronic Arts no valor total de US$ 2,4 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões na cotação atual).

Como o nome sugere, Glu Mobile é um estúdio de produção de jogos para celular e produziu algumas franquias de sucesso como, por exemplo, Diner Dash, Disney Sorcerer’s Arena, WWE Universe, TapSports Baseball ’20, Kim Kardashian Hollywood, Deer Hunter e mais.

O CEO da Electronic Arts, Andrew Wilson, afirmou que a aquisição da Glu combina equipes incríveis e produtos profundamente envolventes para criar um líder em jogos para celular com experiência comprovada em muitos gêneros de rápido crescimento. Segundo ele, o celular continua a crescer como a maior plataforma de jogos do mundo e, com a adição dos jogos e os talentos da Glu, a EA está dobrando o tamanho do negócio portátil (móvel). Com um amplo portfólio de IP e um público global em expansão, a empresa passaria a oferecer experiências mais emocionantes para os jogadores e impulsionaria ainda mais seu próprio o crescimento.

9 – Oculus VR é adquirida pelo Facebook (US$ 2 bilhões)

As transações mais caras da história dos games (parte 2)

Em 2014, após desembolsar US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões na cotação atual), Mark Zuckerberg se tornou dono da empresa Oculus VR, desenvolvedora do famoso Oculus Rift. Em nota, o dono do Meta (nome atual do Facebook) afirmou que o mobile é a plataforma do presente e agora, a empresa estava se preparando para as plataformas do futuro. “O Oculus é a chance de criarmos a plataforma mais social de todos os tempos e de mudar a maneira como trabalhamos, jogamos e nos comunicamos”, disse ele.

A principio, a ideia era usar o Oculus nos games, mas agora, com toda a ideia de fazer o Metaverso acontecer, o Meta está investindo em forma de utilizar isso para acessar o ambiente virtual. Inclusive, a empresa vai lançar um novo óculos de realidade aumentada com mais opções de interação com o Metaverso em outubro deste ano.

10 – Zynga compra Peak (US$ 1,8 bilhão)

As transações mais caras da história dos games (parte 2)

No ano de 2020, a Zynga adquiriu o estúdio de jogos mobile Peak, com sede em Istambul, por uma compra total de US $ 1,85 bilhão  (cerca de 9,5 bilhões na cotação atual). A Peak é a criadora dos jogos móveis match-3 Toy Blast e Toon Blast. “Estamos muito satisfeitos em receber a equipe extraordinariamente talentosa de Sidar e Peak na Zynga”, disse o CEO da Zynga, Frank Gibeau. “Com a adição do Toon Blast e Toy Blast, estamos expandindo nosso portfólio de Jogos Live-Service para oito franquias para sempre, aumentando significativamente nossa base de público global e adicionando ao nosso novo e empolgante canal de jogos”.

Compartilhe

Letícia Höfke

Letícia Höfke

Sou jornalista, escritora e completamente apaixonada por tudo que envolve o universo geek. Twitter e Instagram: @leticiahofke

Veja também